auxílio acidente é recta do trabalhador rústico? entenda

[ad_1]

INSS: auxílio acidente é recta do trabalhador rústico? entenda. O trabalhador rústico pode ser empregado, empregador ou segurado peculiar, quando segurado privativo (pequeno trabalhador rústico que labore com a família), seu caso é pessoal e ele se distancia dos demais segurados na hora de fundamentar seu recta para requerer um favor previdenciário.

Assim porquê os demais, todavia, o trabalhador rústico está suscetível ao acidente no campo. Isso afeta, direta ou indiretamente sua produtividade e consequentemente sua firmeza de renda. Confira porquê, e o que, é necessário para requerer o auxílio-acidente pelo trabalhador rústico.

Baixe o Aplicativo Gratuito do Portal Mix Vale e fique por dentro de mais notícias.

Requisitos

Há muitas formas de se acidentar, e estar o acidente relacionado ao trabalho não é quesito para possuir recta ao auxílio-acidente. Pode ser, por exemplo, que o trabalhador rústico se acidente durante seu tempo de lazer ou no manobra das obrigações familiares, o que não o impede de buscar o favor.

São requisitos para a licença do auxílio acidente os seguintes:

  • Justificar a quesito de segurado: para o segurado privativo que trabalhe em regime familiar, basta provar a própria atividade e não as contribuições realizadas (os segurados especiais estão descritos no cláusula 11, VII, lei 8213/91);
  • Ao empregado rústico, deve possuir Carteira de trabalho ou documento equiparado;
  • Ao empregador rústico, deve possuir apresentação dos últimos carnês de recolhimento previdenciário;
  • Documentos pessoais;
  • Comprovação da redução da capacidade para o trabalho que habitualmente exercia (cláusula 333, instrução normativa 77/15), independentemente da perícia médica do próprio INSS;
  • Não há prazo de carência para o auxílio acidente (número mínimo de contribuições).

Observe o dispositivo da lei 8.213/91:

Art. 39.  Para os segurados especiais […], (trabalhador rústico em regime familiar) fica garantida a licença:

I – […] no valor de 1 (um) salário mínimo, de auxílio-acidente, conforme disposto no art. 86 desta Lei, desde que comprovem o manobra de atividade rústico, ainda que de forma descontínua, no período imediatamente anterior ao requerimento do favor, igual ao número de meses correspondentes à carência do favor requerido, observado o disposto nos arts. 38-A e 38-B desta Lei

(a secção final desta regra não se aplica ao caso pois o auxílio acidente não tem prazo de carência segundo o cláusula 26 da mesma lei);

Porquê requerer o auxílio acidente

O auxílio acidente pode ser requerido por via do portal MEU INSS (no computador ou aplicativo de celular), mas se você não foi beneficiário de auxílio-doença que anteceda o auxílio-acidente, recomenda-se telefonar ao número 135, uma vez que não há opção do dedo para o requerimento direto de auxílio-acidente.

O agendamento de perícia também será necessário, o que também pode ser feito pelo telefone 135 ou dentro do aplicativo MEU INSS pela opção do menu inicial “Agendar perícia”.

Se houve retiro da atividade, o trabalhador pode antecipar o valor do auxílio-doença pela apresentação, no conduto do dedo, de atestados médicos particulares (aplicativo ou portal da internet). Nesse caso, a perícia será agendada e depois o auxílio-doença pode ser convertido em auxílio-acidente (mediante consolidação das lesões atestada por perícias futuras).

pericia medica INSS
pericia medica INSS

Dúvidas recorrentes

O que acontece se o trabalhador não comparece na perícia judicial, quando discute o favor no Poder Judiciário ?

Nesse caso o segurado será intimado pessoalmente, para que demonstre interesse no reagendamento da perícia (sem a qual o favor não pode ser facultado) ou extinção do processo e término da discussão da justificação (TRF4, AC 5025922-57.2015.404.9999, QUINTA TURMA, Relator ROGER RAUPP RIOS).

O segurado que recebe somente auxílio-acidente mantém a qualidade de segurado?

Não. Desde a edição da lei 13.846/19, a material mudou. Quem recebe auxílio-acidente deve continuar contribuindo para se manter segurado (cláusula 15, I, lei 8213/19). A novidade regra não se aplica para quem se acidentou antes de junho de 2019.

celular meu inss
celular meu inss

Eu sou pensionista do meu consorte falecido. Posso receber auxílio-acidente em decorrência de lesão que atrapalhe minha atividade laboral?

Sim. A aposentadoria do segurado interrompe o favor de auxílio acidente, mas isso não se aplica se o montanhoso é pensionista. As relações previdenciárias são distintas, enquanto o pensionista recebe na qualidade de dependente de outra pessoa, porquê montanhoso recebe na qualidade de segurado. Ou por outra, a aglomeração não é vedada pelo cláusula 124 da lei 8.213/91.

Posso receber auxílio-acidente e seguro desemprego ao mesmo tempo?

Sim, de pacto com o cláusula 124, parágrafo único da lei 8.213/91, segundo o qual “é vedado o recebimento conjunto do seguro-desemprego com qualquer favor de prestação continuada da Previdência Social, exceto pensão por morte ou auxílio-acidente”.

Sou autônomo (tributário individual, ex.: empregador rústico), posso tentar receber o auxílio acidente?

Sim. A lei exclui o recta ao tributário individual, mas o favor pode ser obtido na via judicial porque a Constituição, norma supra das leis, não faz elevação entre os segurados (precedente: 5000361-91.2012.404.7200, PRIMEIRA TURMA RECURSAL DE SC, Relator para Acórdão JOÃO BATISTA LAZZARI, julgado em 13/11/2012).

Não deixe suas dúvidas passarem suplantado. Em caso de problemas, ou para mais informações, ligue 135 (INSS) ou entre em contato com um jurista previdenciarista.

Manancial: Saberalei

Link: https://saberalei.com.br/atividade-de-risco-e-acidente-de-trabalho/


[ad_2]
Manadeira